Últimos posts por Sergio Telles

Derrida, uma vida extraordinária

Derrida, uma vida extraordinária (*) Resenha de Benoît Peeters,  Derrida – a biography, Polity Press (New York, USA / Cambridge, UK), 2013, 629 pp.   Sérgio Telles   Bem acolhida ao aparecer há dois anos na França, a biografia de Derrida escrita por Benoît Peeters recebe o mesmo tratamento nos Estados

“Eu, mamãe e os meninos”, de Guillaume Gallienne,

“Eu, mamãe e os meninos” (Les garçons e Guillaume, a la table!, 2013), de Guillaume Gallienne Sérgio Telles O filme é uma obra de Guillaume Gallienne, que escreveu o roteiro, interpretou dois papeis (o dele mesmo e o da mãe) e dirigiu. Foi exibido no Festival de Cannes de 2013

“A grande beleza”, de Paolo Sorrentino

“A grande beleza”, de Paolo Sorrentino Sérgio Telles Apesar da incontestável originalidade, o premiado filme de Paolo Sorrentino segue uma nobre tradição do cinema italiano que passa por Rosselini (“Roma, Cidade Aberta”), Antonionni (“A noite”) e especialmente pelo Fellini de “La Dolce Vita”. O filme está centrado no personagem Jep

Depois de Lucia, um filme quase insuportável

“Depois de Lucia”, de Michel Franco – um filme quase insuportável Sérgio Telles É quase insuportável assistir “Depois de Lucia”, filme do mexicano Michel Franco que recebeu o prêmio “Un certain regard”, no festival de Cannes de 2012. Não por ser um filme ruim mas pela dureza com que Michel

“Cocô, volte aqui”

“Cocô, volte aqui!” Sérgio Telles Um  menino de cerca de dois anos e meio faz cocô e ao dar descarga fica inconsolável com o desaparecimento do mesmo. Chora muito, abraça o vaso sanitário e diz “cocô volte aqui!”. A cena se repete algumas vezes mostrando o quanto a criança se

Tres Ataúdes

Três ataúdes   Sérgio Telles   O falecimento tem uma face privada manifesta no sentimento de perda daqueles que conviviam com o morto e uma irrevogável dimensão pública concretizada na cerimônia do funeral. Algumas mortes são acontecimentos de grande repercussão, gerando notícias nos meios de comunicações. Outras são quase clandestinas,

A Queda de Ícaro de Brueghel

O belo quadro de Brueghel assim intitulado surpreende quem o vê pela primeira vez. Em clima primaveril, algumas árvores enfeitam a vista da grande paisagem na qual se descortina uma pequena baía vista do alto. Em primeiro plano, vemos um lavrador de costas, dirigindo-se da direita para a esquerda, segurando o arado que é