Últimos posts por Sergio Telles

Sobre “Julieta”, de Almodóvar

Sobre JULIETA, de Almodóvar (*) Sérgio Telles “Julieta”, o último filme de Almodóvar se afasta completamente dos excessos presentes em seu estilo kitsch e em seu universo ficcional, habitualmente povoado por personagens beirando a marginalidade e a criminalidade, vivendo situações emocionais de alta voltagem e problemas ligados ao gênero sexual.

Considerações sobre “Que horas ela volta?”, de Anna Muylaert

Considerações sobre “Que horas ela volta?”, filme de Anna Muylaert (*) Sérgio Telles “Que horas ela volta”, filme de Anna Muylaert possibilita várias leituras. A primeira e mais evidente é a político-social. O enredo gira em torno de uma família de classe média alta, constituída pelo casal parental (José Carlos

Realidades virtuais, Pokemon e fobia

Realidades virtuais, Pokémon e fobia (*) Sérgio Telles O videogame Pokémon já vendeu mais de 200 milhões de itens da marca e até março desse ano faturou 46.2 bilhões de dólares. O jogo consiste na captura dos Pokémon – pequenas criaturas imaginárias – por seres humanos, que os treinam para

“Curtindo a vida adoidado”, hoje

“Curtindo a vida adoidado”, hoje (*) Sérgio Telles “Curtindo a vida adoidado” (Ferris Bueller’s Day off), de John Hughes, completa 30 anos esse mês, o que motivou comemorações públicas em Chicago, onde a história se passa. Sucesso de público e crítica, o filme é uma boa comédia sobre a adolescência,

Sobre “Prova de coragem” de Roberto Gervitz

Prova de Coragem, de Roberto Gervitz (*) Sérgio Telles Não é fácil a transposição de um romance, concebido em linguagem escrita e com estrutura narrativa especifica, para a linguagem visual do cinema. Mas Roberto Gervitz tem-se saído bem nessa empreitada. Em 1987, realizou “Feliz Ano Velho”, grande sucesso de público

Considerar-se feio / a

Considerar-se feio/a Sérgio Telles Meaghan Ramsey, do Dove Self Esteem Project, fez uma palestra TED em setembro de 2014 sobre “Porque considerar-se feio/a é ruim para você”, até hoje vista por 2.806.451 pessoas . Ramsey diz que mensalmente mais de 10 mil pessoas perguntam ao Google se são feias. Na

Dezembro, o mês mais cruel

Dezembro, o mês mais cruel (*) Sérgio Telles Haveria um mês do ano especialmente cruel? T.S. Eliot, um dos maiores poetas de língua inglesa do século XX, responderia prontamente – sim, abril é o mais cruel dos meses. No hemisfério norte, abril marca o inicio da primavera, recebida com grande

O PSICANALISTA VAI AO CINEMA III

APRESENTAÇÃO O PSICANALISTA VAI AO CINEMA III, DE SÉRGIO TELLES Em “O psicanalista vai ao cinema – volume 3” (Editora Zagodoni, 2016) mantenho o objetivo de seus predecessores, ou seja, divulgar psicanálise através da interpretação de filmes. Consta de 22 textos, muitos deles publicados em diferentes lugares, nos quais discuto

“A Secretária” (The Secretary, 2008), de Steven Sheinberg

“A Secretária” (The Secretary, 2002), de Steven Sheinberg Sérgio Telles Merecidamente o filme de Sheinberg, que aborda de forma pouco convencional uma relação sado masoquista, ganhou o prêmio de roteiro mais original do Sundance Festival e a atriz Maggy Gyllenhaal recebeu inúmeras indicações para o prêmio de melhor atriz. Inusitada,

Moral sexual “civilizada”, hoje – Transcrição de palestra realizada no XII Simpósio Erotismo e sexualidade contemporânea, na PUC-São Paulo, 2014

Moral sexual ‘civilizada’, hoje Sérgio Telles Transcrição da palestra realizada no XII Simpósio “Erotismo e sexualidade na contemporaneidade”, 31/10/2014, no Núcleo de Estudos Junguianos da PUC-São Paulo Liliana: Agora eu vou convidar o professor Sérgio Telles que nos visita hoje na PUC, ele já é amigo dos junguianos, vejam bem…