Últimos posts por Sergio Telles

Resumo de “A condição pós-moderna” de Lyotard

Resumo de “A condição pós-moderna” de Lyotard Sérgio Telles A leitura de “A condição pós-moderna”, de Lyotard, me causou grande impacto. A acuidade, profundidade e amplitude com que o autor analisa nossa realidade atual muito me impressionou, levando-me a tentar fazer um resumo – se é que se pode resumir

O Google, o terapeuta e o paciente

O Google, o terapeuta e o paciente Sérgio Telles Recentemente o jornal londrino The Guardian publicou um artigo sobre o uso do Google por parte de pacientes em busca de informação sobre seus psicoterapeutas e vice-versa – terapeutas que pesquisam nos buscadores da internet informações disponíveis na rede sobre seus

Sobre o filme “O estudante” (2015), de Kiril Serebrennikov

“O estudante” (2015), de Kirill Serebrennikov Sérgio Telles Indicado para o prêmio “Un Certain Regard” de Cannes em 2016, o filme russo “O estudante”, de Kiril Serebrennikov, baseia-se na peça “Martyr” do alemão Marius von Mayenburg. O título em russo “(M)Uchenik” é um trocadilho, pois “Muchenik” significa “mártir” e “Uchenik”

Sobre o filme “Francofonia” de Alexander Sokurov

Sobre o filme “Francofonia” de Alexander Sokurov Sérgio Telles O extraordinário filme “Francofonia”, de Alexander Sokurov reflete sobre o Louvre, a arte, o poder, o papel dos museus. O pano de fundo do filme é o episódio real ocorrido em 1940 na Paris ocupada pelos alemães, quando o funcionário francês

Sobre o filme “Meu amigo hindu”, de Hector Babenco

MEU AMIGO HINDU, de Hector Babenco Sérgio Telles “Meu amigo hindu”, novo filme de Babenco, retoma uma questão de grande interesse em artes narrativas como literatura e cinema, que é a importância dos elementos biográficos na obra do autor, a maneira como transita entre ficção e realidade. Mais do que

Quem é Elena Ferranti?

Quem é Elena Ferrante? (*) Sérgio Telles Elena Ferrante é o pseudônimo de uma escritora italiana que tem feito sucesso desde seu primeiro livro, lançado em 1992. Com seu “quarteto napolitano’, publicado entre 2011 e 2014 conquistou o mercado internacional. Foi traduzida em 40 países, vendeu 1 milhão de exemplares

Sobre “Julieta”, de Almodóvar

Sobre JULIETA, de Almodóvar (*) Sérgio Telles “Julieta”, o último filme de Almodóvar se afasta completamente dos excessos presentes em seu estilo kitsch e em seu universo ficcional, habitualmente povoado por personagens beirando a marginalidade e a criminalidade, vivendo situações emocionais de alta voltagem e problemas ligados ao gênero sexual.