Psicanálise por Sergio Telles

É possível o diálogo entre a hipocondria e a atual prática médica?

Resenha de “Hipocondria – Impasses da Alma, Desafios do Corpo” – de Rubens Marcelo Volich – Coleção Clínica Psicanalítica – Editora Casa do Psicólogo – 2002 – São Paulo. A tecno-ciência tem possibilitado avanços imensos na medicina, que se refletem nos campos do diagnóstico e da terapêutica. O corpo humano pode

UM FREUD “LITERÁRIO”?

Considerações sobre novas traduções da obra freudiana. Um importante acontecimento editorial ocorre esse mês de julho em Londres. Serão lançados os dois primeiros volumes de uma série de quinze do que está sendo chamada de “novas traduções literárias de Freud”, um empreendimento da editora Penguin, organizado pelo psicanalista e escritor

O papel do analista

Este texto, ligeiramente modificado, faz parte de um trabalho apresentado no simpósio FREUD E JUNG – 90 ANOS DE ENCONTROS E DESENCONTROS, realizado sob os auspícios da Sociedade Brasileira de Psicologia Analítica no Museu da Imagem e do Som de São Paulo (MIS-SP), em 17 e 18 de maio de

MAL DE ARQUIVO

As vicissitudes da memória segundo Derrida “Mal de Arquivo – Uma impressão freudiana” é uma conferência de Derrida pronunciada em Londres, no dia 5 dejunho de 1994, no colóquio internacional “Memória, a questão dos arquivos”, organizado por iniciativa de René Major e Elizabeth Roudinesco e patrocinada pela Sociedade Internacional de

Uma Psicanálise que não resiste a si mesma

O atentado em Nova York mostra a atualidade e premência dos temas tratados por Jacques Derrida em seu discurso nos “Estados Gerais da Psicanálise” em Paris, 2000. O atentado concentra vários ítens abordados ali por Derida: violência, guerras, soberania de estados, nacionalismos, meios de comunicações, tempo real na mídia, globalização,

Para além da soberana crueldade, uma utopia possível

Em julho de 2000, Paris, 1250 psicanalistas de diversos países e pertencentes às mais variadas correntes e instituições reuniram-se num grande encontro chamado “Estados Gerais da Psicanálise”. O nome deriva de episódio da história francesa, dos momentos que antecederam a Revolução. O rei convoca uma assembléia, chamada de “Estados Gerais”,

CATÁSTROFE E REPRESENTAÇÃO

Catástrofe e Representação, ensaios e ficções organizado por Arthur Nestrovski e Márcio Seligmann-Silva Editora Escuta – São Paulo – 2000. Este excelente livro traz um conjunto de dez ensaios, sete dos quais foram apresentados em dois ciclos de palestra promovidos pelo Centro de Estudos da Cultura da PUC/SP, nos anos

FREUD: CONFLITO E CULTURA

Mostra organizada pela Biblioteca do Congresso dos Estados Unidos, em exposição no MASP A exposição “Freud: Conflito e Cultura” tem uma longa história. Ao ser proposta em junho de 1995 pelo curador da Biblioteca do Congresso, Michael Roth, estava ele inadvertidamente reacendendo uma acerba polêmica iniciada nos anos 70, envolvendo a

UMA COMUM FANTASIA SOBRE A ANÁLISE

O que acontece quando um paciente volta à análise? Uma fantasia negativa comum sobre o trabalho analítico é aquela que gira em torno da idéia de que o analista estimula a neurose do paciente para explorá-lo. O analista faria todo esforço para que o paciente não abandone a análise, no

Existe uma Weltanschauung (cosmovisão) psicanalítica?

Muitas vezes ouvimos dizer que não existe uma Weltanschauung (cosmovisão) psicanalítica. Essa frase sempre aparece em contextos onde se tenta afastar qualquer conotação onipotente e totalizante do saber psicanalítico. A meu ver, esta afirmação advém de uma leitura apressada da Conferência XXXV, justamente intitulada “A Questão de uma Weltanschauung”, a

Crianças e Drogas Psiquiátricas

Crianças tomam mais antidepressivos nos EUA (O ESTADO DE SÃO PAULO, 24/2/2000 – reproduzindo notícia do The New York Times, assinada por Erica Goode). Consumo de drogas psiquiátricas entre pré-escolares aumentou entre 1991 e 1995. Divulgando uma descoberta que peritos médicos classificaram de ‘inquietante” e “muito surpreendente”, pesquisadores informaram ontem que