Literatura por Sergio Telles

Quem é Elena Ferranti?

Quem é Elena Ferrante? (*) Sérgio Telles Elena Ferrante é o pseudônimo de uma escritora italiana que tem feito sucesso desde seu primeiro livro, lançado em 1992. Com seu “quarteto napolitano’, publicado entre 2011 e 2014 conquistou o mercado internacional. Foi traduzida em 40 países, vendeu 1 milhão de exemplares

“Artistas da fome”- divagações em torno de um conto de Kafka

ARTISTAS DA FOME Sérgio Telles Freud diz que nós, forçados que fomos a abandonar a onipotência narcísica, ficamos fascinados por aqueles que não passaram por isso, como as crianças, as mulheres muito belas e os grandes felinos, os tigres e leões. Eles são tão autocentrados, tão satisfeitos consigo mesmos, que

Dostoievski, o terapeuta

DOSTOIEVSKI, O TERAPEUTA (*) Resenha de “Os Ensinamentos da Loucura – a clinica de Dostoievsky: Memórias do subsolo, Crime e Castigo e O Duplo”- Editora Perspectiva, São Paulo, 2014, 150pp Sérgio Telles É decisivo o papel do inconsciente na construção dos personagens de Dostoievsky, o que o deixa como um

“Martin Eden”, de Jack London

“Martin Eden”. de Jack London Sérgio Telles De Jack London eu conhecia apenas algumas versões publicadas pela Ebal na Edição Maravilhosa. Imagino que algum tempo atrás essa afirmação pareceria críptica, compreensível apenas para algumas pessoas maiores de 60 anos. Hoje, com os buscadores da internet, em segundos, curiosos de qualquer

Velhice, tradução, humor

Velhice, tradução, humor (*) Sérgio Telles Velhice – Chegando tarde a uma grande festa de casamento, vimo-nos obrigados a compartilhar uma mesa com um casal idoso desconhecido. Seguindo as regras de civilidade, logo tentamos “entabular uma conversação”, expressão que bem poderia fazer parte do glossário de chavões ou clichês listado

Ficção e Realidade – Philip Roth e Wikipedia

Ficçao e realidade – Philip Roth e Wikipedia (*) Sérgio Telles Coleman Silk, um professor universitário norte-americano, constatando que dois alunos faltam sistematicamente a suas aulas a ponto de jamais tê-los visto, pergunta à classe quem são aqueles spooks (fantasmas) que nunca apareciam. Como os dois alunos eram negros, a

Proust e sua mãe

Proust e sua mãe (*) Sérgio Telles É conhecido o grande apego que Proust tinha por sua mãe, Jeanne. Em Proust and his mother, publicado recentemente na London Review of Books (03/22/2012), Michael Wood aborda a complicada relação entre os dois, a partir de um episódio biográfico ficcionalizado por Proust em seu

Relatos de uma temporada no divã

Relatos de uma temporada no divã (*) Sérgio Telles Hilda Doolittle (1886- 1961) é uma poetisa, romancista e memorialista norte-americana praticamente desconhecida no Brasil. Participou do imagismo, movimento literário de grande impacto no mundo anglo-americano antes da 1.ª Guerra Mundial e depois traçou uma rota própria pelos caminhos abertos pelo

Antropofagia e um pouco de Pina

Antropofagia e um pouco de Pina (*) Sérgio Telles Acompanhei a recente troca de farpas entre Caetano Veloso e Roberto Schwarz em torno do livro Vereda Tropical, de autoria do primeiro. Por isso me interessei pela brochura Antropofagia, publicada recentemente pela Penguin/Companhia das Letras, na qual estão enfeixados alguns trechos

Semáforos, farmácias, máscaras ou Três cenas paulistanas

Semáforos, farmácias, máscaras ou Três cenas paulistanas Sérgio Telles Ao parar no semáforo, o carro é imediatamente cercado por um bando de crianças, adolescentes, jovens adultos. Alguns correm entre os veículos, colocando nos retrovisores pequenos sacos plásticos com balas, bombons ou flanelinhas, acrescidos de um pequeno escrito onde está afirmado